Inaugurado há menos de um ano, o Cinema da Praça, em Paraty, recebeu no ano passado cerca de 5 mil alunos da rede pública e privada no âmbito do programa ‘Sessão Escola’. O programa é uma parceria entre as secretarias de Cultura e Educação para incentivar a formação de público para o local e fortalecer o vínculo de moradores com o espaço gratuito gerido pela prefeitura local. O cinema foi aberto em julho do ano passado no mesmo espaço onde funcionou, até a década de 70, o antigo Cine São Jorge.

Entre agosto e novembro do ano passado, alunos de 30 escolas da cidade e até de uma escola pública de Angra dos Reis tiveram a chance de assistir a filmes na sala de cinema, gratuitamente. O cinema público não tem cobrança de ingressos. Segundo a secretaria de Cultura, que administra o espaço, houve 83 sessões com filmes variados, nacionais e estrangeiros.

Para muitos estudantes, a ida ao Cinema da Praça foi o primeiro contato com o cinema, tendo acesso à uma projeção digital de alta qualidade. Em algumas sessões, atores interagiram com os adolescentes, como foi o encontro com a atriz Alexandra Richter, do filme ‘Minha mãe é uma peça 2’. O projeto ‘Sessão Escola’, que leva estudantes ao espaço, retorna em fevereiro com o reinício do ano escolar.

Prêmio — Em outro reconhecimento ao projeto do Cinema, em dezembro, o arquiteto paratiense Marinho Velloso recebeu uma menção honrosa do Instituto de Arquitetos do Brasil pelo projeto de restauro e requalificação da sala de cinema, que estava fechada há quase 30 anos e foi totalmente revitalizada para a reabertura, projeto da prefeitura de Paraty, com apoio do Governo Federal, por meio do BNDES.

A premiação de Velloso foi no último dia 6 de dezembro. O Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento São Paulo (IABsp 2018 – 75 anos) reconheceu o trabalho de restauração do casarão localizado ao lado da Praça da Igreja Matriz, no meio do Centro Histórico de Paraty. O antigo Cine Seu Jorge ou ‘cinema do Seu Pedro’, funcionou até meados de 1970. Fechado ou tendo outras destinações durante as décadas seguintes, o prédio foi adquirido pela prefeitura, que, em 2015 iniciou o processo de revitalização. O objetivo era reabrir este espaço cultural público com uma programação de qualidade – que vai do cinema comercial ao ‘arte’.

Publicado antes na edição impressa nº 238 do Tribuna Livre.

Fotos: Divulgação

Gostou deste texto? Para assinar o Tribuna Livre, clique aqui.

Deixe seu comentário

Escreva seu comentário!
Nome