Os dias de calor intenso registrados entre o final do ano passado e os primeiros dias do Ano Novo parecem que deixaram como herança para os consumidores de todo o país, contas altíssimas pelo aumento no consumo de energia. Desde a semana passada, quando começaram a chegar as faturas referentes ao consumo de dezembro, centenas de consumidores relatam crescimentos inacreditáveis nos valores das contas, alguns acima até de 150%. Para estes consumidores, só o aumento no uso dos aparelhos de ventilação ou ar-condicionado, não pode ser a única explicação para contas tão altas.

— Tenho uma tia que mora sozinha e passou quase três semanas fora da casa. Mesmo assim a conta dele subiu de R$ 90 para quase R$ 200. Qual a explicação? — questiona uma moradora do Centro da cidade ouvida pelo Tribuna Livre na manhã desta quarta-feira, 23.

A reclamação dela não é a única. Um dono de restaurante também na região central de Angra dos Reis viu a conta saltar de uma média de R$ 7 mil para inexplicáveis R$ 22 mil em apenas um mês. Um aumento tão acentuado na conta pode comprometer o funcionamento do negócio.

As queixas sobre o aumento no preço das contas de energia em janeiro são generalizadas, desde pequenos até grandes consumidores. Pessoas que moram na beira da praia e outros que residem no alto dos morros. Todos recebendo faturas mais altas. As reclamações também não são localizadas. Numa rápida consulta à Internet, encontramos cidades de Norte a Sul do Brasil queixando-se dos aumentos. Em muitos casos, as queixas estão indo parar nos serviços de atendimento aos consumidores dos Estados (Procons) e nas Câmaras Municipais, que prometem audiências para discutir a razão dos aumentos.

Na Japuíba, em Angra dos Reis, uma consumidora abordou diretamente o homem responsável pela leitura dos aparelhos de medição. A explicação dele foi simples.

— Aumentou a conta de todo mundo — resumiu-se a dizer o rapaz.

Ilha Grande — O aumento chegou também à Ilha Grande, onde os consumidores enfrentam irregularidade na oferta de energia desde o ano passado. Entre o Natal e a sexta-feira da semana passada, 18, os moradores calculam ter faltado energia praticamente um dia sim o outro não. Além dos prejuízos com a movimentação de hóspedes no setor de turismo, afetada pela falta de energia, as queixas relatam também a perda de equipamentos e, claro, a propaganda negativa para o setor nesta época do ano, vital para a economia da localidade.

Moradores realizam até um abaixo-assinado virtual contra a concessionária Enel e protestos na Vila do Abraão (foto). Em reunião com a prefeitura de Angra na semana passada, a Enel afirmou vai investir R$ 18 milhões na troca da rede de média tensão e de 377 postes de madeira em 15 quilômetros dentro da Ilha, trecho para o qual já obteve a licença ambiental. Acompanhando toda a fiação estará um cabo guia, cuja função será ajudar a proteger a rede, evitando que galhos caiam sobre ela. A chamada linha Sul, que vai desde o Provetá até a praia de Araçatiba é a que mais apresenta problemas e interrupções causadas por falhas em transformadores, queda de postes etc.

Reajuste — Voltando ao temo das contas altas, além do aumento no uso de aparelhos eletrônicos (sobretudo ar-condicionado), o que é reconhecido por muitos consumidores, as contas de janeiro podem ter sido impactadas pelo reajuste autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no ano passado, cujo aumento estava previsto para vir nas contas de março/19. A Aneel aprovou uma cobrança extra de R$ 1,9 bilhão na Conta de Desenvolvimento Energético, destinada a cobrir aumento nos custos de construção da linha de transmissão que liga Manaus (AM) a Roraima (RR).

O que fazer quando sua conta de energia vem muito alta

A distribuidora de energia Elektro orienta os consumidores que receberem contas mais altas de energia a procederem desta forma para tentar identificar as possíveis causas. As orientações são válidas para todas as distribuidoras do país:

1. Acompanhe a leitura do medidor: Anote a leitura atual do seu medidor, subtraia da última leitura emitida em sua conta de luz e divida esse valor pela quantidade de dias entre elas. Esse resultado será o seu consumo médio diário que poderá auxiliá-lo a identificar se você está realmente consumindo mais energia.

2. Possível erro na anotação da leitura: seguindo os passos do item anterior, ao anotar a leitura do seu medidor você poderá confrontá-la com a última anotada na conta e, caso a leitura atual esteja menor que a anterior, encaminhe sua solicitação para análise da concessionária de energia local.

3. Mudança de alíquota do ICMS: mesmo uma pequena variação de consumo pode provocar alteração no valor de sua conta de luz. Isso acontece devido à mudança de faixa da alíquota de ICMS do seu Estado (Rj). Mais detalhes estão na própria conta em Tributos recolhidos.

4. Acúmulo de contas (plurimestral): Sua conta pode estar trazendo o valor acumulado dos últimos meses, não cobrados, devido ao faturamento plurimestral das contas demonstrativas/vinculadas.

5. Taxas de serviços prestados: veja se na sua conta não estão relacionados taxas de serviços solicitados por você, tais como religação, custo de diferença de medição (troca de medidor em ligação nova ou reforma), etc.

6. Tarifa social: se a unidade consumidora for utilizada apenas como residência, pode ser que você tenha direito a tarifa de energia com desconto (baixa renda). Para isso você deve atender algumas exigências governamentais.

Sua conta de energia veio alta este mês? Conte para nós na nossa fanpage

Fotos: Reprodução

GOSTOU DESTE TEXTO?
Assine o jornal Tribuna Livre e receba em casa a nossa edição impressa. Clique aqui.

Deixe seu comentário

Escreva seu comentário!
Nome